• Louco desejo

    por  • 1 de junho de 2014 • Cinquenta tons de cinza, Dicas da Alizée, Uncategorized • 0 Comentarios

    Louco desejo

    Thalia e Matheus haviam se conhecido ainda muito jovens, quando ainda faziam a faculdade de História juntos, Matheus sempre a achou uma jovem muito bela, mais estranhamente tímida e como ele costumava dizer: as experientes e ousadas despertavam a lúxuria pagã que existia dentro dele.

    E Thalia por mais linda que fosse, não fazia muito o seu tipo. Mais o que Matheus não sabia é que a Thalia do tempo da faculdade a muito havia desaparecido dentro da pele agora dourada e do corpo hoje cheio de curvas desejosas dessa nova Thalia que se encontrava bem diante dele, o olhando com aqueles sedutores olhos verdes, que cintilavam e piscavam debaixo daqueles cílios encantadores. E Matheus tinha de admitir que depois de estuda-la mais vagarosamente percebia que estivera errado em julga-la como não atraente no começo. Com o cabelo loiro cascateando sobre os ombros e um brilho rosado nos lábios, ela estava incrivelmente sexy, e enfurecia ?o, ao mesmo tempo que atiçava ainda mais o seu desejo saber que não era o único homem do bar que não conseguia tirar os olhos da beleza estonteante de Thalia.

    Thalia observava o seu antigo parceiro de sala com um tipo de desejo que só sentia por ele, aquele homem que todas as mulheres conheciam:? como o melhor parceiro sexual que você poderá ter.? E nesse momento ocorreu a Thalia que ele seria a mais perfeita escolha para realizar suas atuais fantasias, sexo sem compromisso e de boa, ou melhor de ótima qualidade. Mais como dizem: O caçador muitas vezes pode virar a caça.

    E foi exatamente o que aconteceu a Thalia, Matheus a muito havia decidido, do outro lado do bar, ao ver todos os homens a olharem daquela forma que ele seria o homem a possuí-la aquela noite, naquela noite ele a teria em seus braços, saciando os seus desejos e realizando suas mais cruéis e gostosas fantasias.

    Finalmente ela ficou sozinha na mesa, e Matheus soube que essa era a oportunidade da qual ele precisava para atacar, se aproximou e a cumprimentou com sua voz tentadoramente rouca. _ Olá linda Thalia, a quanto tempo não nos vemos. A mim parecem séculos.

    _ Oi Matheus, talvez não séculos mais alguns anos creio que sim. _ ele era crime e castigo tudo junto, olhando para aqueles olhos negros e para aquele corpo de semi- deus que ele sempre possuía seria impossível resistir a qualquer investida que ele fizesse contra ela, e pelo que ela via nos olhos dele, isso não demoraria para acontecer.Thalia tinha de admitir que isso era demais para ela, por mais que quisesse muito aquilo precisava sair daquela situação, e a solução mais plausível que surgiu em sua mente foi ir para a parte mais reservada do bar, o segundo andar, onde nem mesmo Matheus iria procura-la, por ser vazio e abandonado. Mal sabia Thalia que este era o lugar para onde ele pretendia leva-la e despi-la, longe dos olhares de todos.  Gentilmente então ela pediu desculpas e se retirou.

    Thalia mal alcançou as escadas do segundo andar, antes que Matheus a segurasse pela mão e dissesse: _ Querida, aonde vais com tanta pressa?

    _ Apenas tomar um pouco de ar no andar de cima, faz muito calor aqui.

    _ Doce Thalia garanto-lhe que fará muito mais calor lá em cima. _e me puxando pela mão ele me levou pela escuridão que eu pensei  tolamente que fosse me proteger de um caçador nato como Matheus.

    Ele me encostou na parede mais próxima me beijou, primeiro docemente e depois com ardor e paixão, e eu me entreguei aos mais obscuros e prazerosos desejos que me  inundaram naquele momento.

    Quando ele me segurou pela cintura e, respirou forte sobre a pele sensível da minha nuca, eu soube que teria todos os meus desejos sexuais realizados naquela noite quente de verão.

    Suas mãos eram firmes e hábeis descendo as finas alças do meu vestido azul de cetim, eu tremia de encontro a parede fria, enquanto o seu corpo quente me incendiava de desejo. A cada centímetro de tecido que ele me despia, sentia-me como se estivesse prestes a explodir, seus dedos tocaram os meus arrepiados  mamilos, intumescidos de tesão, ele desceu a sua boca quente e úmida pelo meu pescoço até encontrar a outra parte que ele decidiu torturar.

    Ele segurou meus seios entre as suas mãos e os sugou como uma criança faminta; ele desceu ainda mais lentamente até chegar a minha cintura sua mão alcançou a renda da minha calcinha e logo os seus dedos encontraram o mais sensível de todos os lugares do meu corpo, seus dedos primeiro movimentavam-se devagar, mais, gradativamente seus movimentos ficaram mais intensos e eu achei que alcançaria o meu clímax ali mesmo, mais claro que não seria assim, o homem que me tinha literalmente em suas mãos agora, era um caçador experiente e iria aproveitar cada doce tortura que sua preza viesse a passar.

    Ele me levantou em seus braços e me deitou sobre o tapete, se colocou bem na minha frente e vagarosamente retirou minha calcinha, e começou novamente a me acariciar com seus dedos e logo abaixou sua cabeça entre as minhas pernas, e começou a sugar-me, beijar-me,  e a colocar a sua língua dentro de mim, ele massageava meu clitóris e o mordiscava, sugava-me e se embebia no meu mel, como se fosse o mais saboroso dos néctar. Quando ele intensificou as lambidas sobre o meu clitóris, eu não suportei mais, o tesão que sentia nem consegui segurar toda a energia sexual que se agitava por todo o meu corpo, e gozei deliciosamente na sua boca e ele lambeu cada gota do meu desejo agora realizado.

    O meu corpo convulsionava-se e sentia-me completamente saciada, mais ainda não estava preenchida como eu desejava, e assim como ele havia me enlouquecido eu agora iria lhe proporcionar igual prazer.

    O agarrei pelo pescoço e o beijei loucamente invade a sua boca com a minha língua, ainda ávida de desejo , morde o seu pescoço levemente e sente que ele estremeceu, e nesse momento soube que obtinha total controle sobre o meu ex dominador.

    Desce lentamente sobre o seu corpo lambendo toda a extensão da sua pele, e ele gemia  e o som do seu gemido me estigava a dar-lhe ainda mais prazer, ajoelhei-me diante dele em posição de total submisão, segurei o seu membro rígido entre as minhas mãos e passei a minha língua, do começo ao fim de sua masculinidade, coloquei primeiro a cabeça do seu pênis em minha boca e o circulei com movimentos repetitivos, e torturantes, até que ele não aguentou mais e enfiou todo o seu membro dentro da minha boca e começou um movimento louco de vaivém; segurando os meus cabelos e colocando cada vez mais rápido e mais fundo dentro da minha boca, até que eu sente que se não parasse com isso já ele não aguentaria e gozaria na minha boca. Ele provavelmente pensou a mesma coisa pois naquele instante ele me virou de costas, me colocando de quatro e enfiou bem devagar, seus movimentos eram lentos, porem intensos. Então sente que talvez ele estivesse se contendo por medo de me machucar, só que o que ele não sabia é assim como ele eu estava louca de tesão, louca por mais , querendo me sentir totalmente e intensamente preenchida.  Foi quando perde de vez a cabeça e gritei:_ Mais amor, eu quero mais, com força vai…

    E era o que faltava pra ele enlouquecer; ele meteu com força, fundo e freneticamente, o que fez com que ele gozasse rápido e forte dentro de mim, e foi entre os sons de prazer do meu caçador que eu gozei novamente desta vez, me sentindo realizada e totalmente preenchida…

     

    Louco desejo

                                Roseane Gonçalves

    http://www.123sexo.com.br/materia.php?idp=105

    Deixe uma resposta

    O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *